© Lab Moda Suatentável. All Rights Reserved.

Moda

Transforma.

Moda é Vida.

Plataforma multissetorial de colaboração e inovação em nível nacional formada por cerca de 40 lideranças, que quer abordar e transformar os principais desafios relacionados ao setor da moda no Brasil. O projeto foi convocado por uma aliança composta pela Abit – Associação Brasileira da Indústria Têxtil e de Confecção, ABVTEX – Associação Brasileira do Varejo Têxtil e OIT – Organização Internacional do Trabalho, tendo como parceiro fundador o Instituto C&A, apoiado pelas Pernambucanas, e executado pela Reos Partners. 

O reconhecimento de que uma situação é inaceitável ou insustentável, de que um ator isolado não pode mudar o sistema, que mudanças diretas são impossíveis ou insuficientes e que existe vontade para mudar a realidade atual são o ponto de partida para um processo de cenários transformadores. Construir cenários futuros é um exercício de suspender nossos desejos e nossas respostas, olhar para além de nossas previsões e projeções e abrir-nos para pensar uma variedade de futuros possíveis. .

Cenários 2035

CENÁRIOS TRANSFORMADORES SÃO HISTÓRIAS QUE DESCREVEM O QUE PODERIA ACONTECER NO FUTURO, NÃO SÃO PREVISÕES OU RECOMENDAÇÕES PARA O QUE DEVERIA ACONTECER. ELES NOS DESAFIAM A AGIR PARA INFLUENCIAR E CRIAR O FUTURO QUE QUEREMOS.

cenarios_solta_01-550x550.jpg

Costura solta

Retrocesso generalizado com conflitos políticos e econômicos, individualismo generalizado e o protecionismo no comércio internacional levam a um mercado da moda fundamentalmente orientado ao lucro. A colaboração entre os setores é frágil. A economia brasileira está em crise e o investimento em educação e tecnologia é baixo. Há poucos mecanismos de controle social sobre o trabalho precário, situação que é agravada pelo aumento do desemprego provocado pela substituição de mão de obra por produção automatizada e por fluxos migratórios intensos no continente.

cenarios_amarrada_02-550x550.jpg

Costura amarrada

Há predomínio da forca do Estado interventor, buscando regular as ações dos demais setores. O Estado detém o monopólio do Big Data e a fiscalização aumenta na cadeia produtiva da moda, tanto nas questões trabalhistas, como ambientais. A baixa participação na construção das políticas públicas diminui a inovação e investimentos em tecnologia, que vem do setor privado. O diálogo é enfraquecido e a desigualdade persiste. Os shoppings são os espaços preferenciais para experienciar o consumo, o comércio online predomina.

cenarios_rede_02-550x550.jpg

Costura em rede

A colaboração entre estado, empresas e sociedade civil organizada assume um papel estratégico no país com a união entre elos da cadeia. Questões sociais e ambientais ganham relevância na medição dos resultados da cadeia da moda em geral e das empresas que a compõem. Há um forte investimento em ciência e tecnologia. Diminuem as vagas de trabalho no setor, em função do avanço tecnológico, mas melhoram sensivelmente as relações trabalhistas. O Brasil entra na era da customização da moda, com descentralização da produção e difusão de minifábricas e o consumidor exige produtos mais sustentáveis.

cenarios_cyber_02-550x550.jpg

Cybercostura

Saltos tecnológicos disruptivos seguidos e mudanças na consciência do consumidor transformam o mundo da moda. Novos materiais substituem matérias primas convencionais, a produção se moderniza e a formação dos profissionais é diversificada e aprofundada. Há grande redução de postos de trabalho, mas diminuem as condições de trabalho precários e são criados novos mecanismos de proteção social – como diminuição da jornada, para garantir mais emprego. A economia da moda caminha para um modelo circular, em decorrência da crise ambiental que afeta a consciência da sociedade e a pressão por uma produção sustentável.

Depoimento

“Dialogar é um meio de se chegar a uma terceira via, e todas as vozes precisam se mexer um pouco".

Ator Lab

Iniciativas multissetoriais

TENDO EM MENTE QUE UM LABORATÓRIO SOCIAL SE DÁ EM CICLOS DE PROTOTIPAGEM QUE ENVOLVEM CRIAÇÃO DAS INICIATIVAS, TESTES NA VIDA REAL E ITERAÇÃO DAS INICIATIVAS COM OS APRENDIZADOS DOS TESTES. ORGANIZADA EM SEIS GRUPOS DE TRABALHO (GT), A EQUIPE COCRIOU E TESTOU SEIS INICIATIVAS MULTISSETORIAIS.