Topo

Costura amarrada. 

Cidadãos canalizam sua preocupação com questões públicas para o meio ambiente, como reação aos desastres ambientais.

Há predomínio da forca do Estado interventor, buscando regular as ações dos demais setores. O Estado detém o monopólio do Big Data e a fiscalização aumenta na cadeia produtiva da moda, tanto nas questões trabalhistas, como ambientais. 

A baixa participação na construção das políticas públicas diminui a inovação e investimentos em tecnologia, que vem do setor privado. O diálogo é enfraquecido e a desigualdade persiste. Os shoppings são os espaços preferenciais para experienciar o consumo, o comércio online predomina.

Comparativo dos diferenciadores.

Economia e mercado.
:: Economia se estabiliza e volta a crescer.
:: Política econômica protecionista beneficia a indústria.

Cultura e consumo.
:: Amplo rastreamento de cadeias produtivas, mas baixo compartilhamento de informações.
:: Shoppings: experiência de consumo.
:: Compras online: necessário cumprir especificações socio- ambientais para chegar às prateleiras.
:: Consumidores: consciência ambiental, mas há pouca conexão com as condições de trabalho. 

Questões ambientais / recursos naturais.
:: Política ambiental mais regulada. 

Modelo de negócio e cadeia de valor.
:: Resultados do negócio consideram questões sociais.
:: Crescimento de compliance: resposta às sanções jurídicas.
:: Intercâmbio de informações comerciais e estratégicas.
:: Baixa mecanização.
:: Mortalidade das MPEs em níveis extremos.
:: Comércio online difunde-se em alguns segmentos.

Educação, ciência, tecnologia e inovação.
:: Baixo investimento em tecnologia e mecanização.
:: O Estado é parte do oligopólio do Big Data: informações para elaboração de políticas públicas.
:: Vigilância é onipresente (empresas digitais são compelidas a fornecer dados para o governo).
:: Baixo investimento em educação. 

Trabalho e trabalhador(a).
:: O Estado forte garante a aplicação das leis vigentes.
:: O Estado procura garantir direitos, aumentando a fiscalização.
:: Manutenção de marcadores sociais de diferença e da discriminação (desigualdade de gênero, raça ou cor nas cadeias produtivas). 

Relações entre atores (governo, empresas, sociedade civil organizada e trablahadores(as).
:: Diálogo entre atores é frágil.
:: Predomínio da força do Estado, buscando regular as ações dos demais setores da sociedade.
:: Cidadãos canalizam sua preocupação com questões públicas para o meio ambiente, como reação aos desastres ambientais.