Topo

Cybercostura. 

A realidade é moldada a partir da combinação entre uma mudança na consciência do consumidor e as inovações tecnológicas disruptivas.

Saltos tecnológicos seguidos transformam o mundo da moda. Novos materiais substituem matérias primas convencionais, a produção se moderniza e a formação dos profissionais é diversificada e aprofundada. Há grande redução de postos de trabalho, mas criação de novos mecanismos de proteção social. – como diminuição da jornada, para garantir mais emprego. 

A economia da moda caminha para um modelo circular, em decorrência da crise ambiental que afeta a consciência da sociedade e a pressão por uma produção sustentável.

Comparativo dos diferenciadores.

Economia e mercado.
:: Economia estabiliza-se e volta a crescer.
:: Investimentos em infraestrutura digital, economia circular e educação impactam positivamente o setor.

Cultura e consumo.
:: Sentimento generalizado de que “tudo é possível e mudanças urgentes são necessárias”.
:: Classe C: desejo de consumir. Classes A e B: querem reduzir consumo.
:: Convivência do artesanal e do tecnológico.
:: Design atemporal e coleções sem gênero.

Questões ambientais/recursos naturais.
:: Crise ambiental: pressão por produção ambientalmente regenerativa dos ciclos biológicos.
:: Novas tecnologias permitem ciclos integrados de produção sustentável.
:: Inovações acontecem no início da cadeia produtiva, com o desenvolvimento de novos materiais sustentáveis e funcionais. 

Modelo de negócio e cadeia de valor.
:: Resultados do negócio são medidos por critérios econômicos, sociais e ambientais.
:: Consolidação das experiências de blockchain no rastreamento da cadeia.
:: Sistemas ciber-físicos estão difundidos.
:: Grande concentração do varejo (B2C). Lógica circular de produção.

Educação, ciência, tecnologia e inovação.
:: Indústria 4.0: visão multidisciplinar e integrada.
:: Blockchain: cadeias de valor rastreáveis.
:: Tecnologias virtuais: impressoras 3D.
:: Investimentos públicos: novos modelos de ensino.
:: Novos materiais e matérias-primas.

Trabalho e trabalhador(a).
:: Avanço tecnológico: menos postos de trabalho.
:: Mecanismos de proteção social.
:: Redução de jornada de trabalho.
:: Novas formas de contratação.
:: Povos e saberes ancestrais são valorizados.
:: Redução de imigrantes em busca de empregos.

Relações entre atores (governo, empresas, sociedade civil organizada e trabalhadores(as)
:: Relações entre atores têm um equilíbrio aparente e há colaboração entre as diversas partes interessadas, cujos interesses são congruentes.
:: Grande parte dos cidadãos se percebe como ativista e se mobiliza em sua rede.
:: O Estado gerencia mudanças na sociedade em função de transformações na economia.